Dói. É difícil. Tem que insistir. Dá febre. Empedra. Racha. Arde. Enche muito. Ou parece pouco...
É fácil ver essas opiniões por aí numa rápida pesquisa ou perguntando à amigas que já são mães. Não vou dizer que é mentira, é isso, e muito mais.

Nenhum seio é idêntico, assim como nenhuma mãe e sua forma de amamentar. Vou lhe dizer: amamentar é oferecer amor em forma de leite. Por isso é importante que você se dedique. Seu bebê passou nove meses dentro de você, acha que ele não conhece o seu coração? Rubi sabe bem se estou mais agitada, triste, alegre, tranquila. Nós criamos esse elo e você precisa criar com o teu filho também. Acredito que as emoções são transmitidas nesse momento.

O leite a princípio é amarelado e com aspecto "gordo" (foi a definição que o sr. Barrili deu), chamado colostro.  Um pouquinho já irá saciar pois o recém nascido possui reservas de água no estômago. É considerado a primeira vacina por ser rico em proteínas e anticorpos. Ou seja, você precisa oferecer isso para o seu bebê!

Ainda na maternidade
Independente do tipo de parto, ofereça o seio assim que possível. Não espere o bebê chorar e te desesperar tentando segurar ele, o seio e ainda ter que ver se a pega está correta. Não se importe com a quantidade, segure o bebê até que o mesmo largue o seio. Caso tenha dificuldade com a pega, peça ajuda à enfermeira ou pediatra. Em algum momento o pediatra vai lhe visitar para verificar se já conseguiu amamentar, é um pouco constrangedor, mas não se acanhe em pedir ajuda. Na maternidade em que Rubi nasceu, a pediatra chegou me amedrontando. Não é que fosse grosseira, mas me senti um pouco tensa e inibida quando ela disse: "Já trouxeram o bebê? Já conseguiu amamentar? Não basta ter leite, você tem bico? Já te avisaram que você só vai ter alta quando estiver amamentando direitinho?". Sério, ela era sinistra. Mas eu sou mais, risos. No momento em que trouxeram a Rubi do berçário, coloquei a menina para mamar e de primeira acertamos. Sorte? Pode ser. Pois eu penei com meu primeiro filho.

Com Benício, o primogênito, a história foi diferente. Na maternidade, passei a madrugada inteira tentando encontrar uma posição que não doesse por causa da cesárea, eu tinha bico invertido, seios enormes e ele era preguiçoso. Insisti, chorei, achei que não estava saindo nada, fiquei com raiva. Tudo errado, agora eu sei. Até menti para a enfermeira, dizendo que tinha conseguido só pra não dar leite artificial no copinho - não foi negligência minha, como disse logo acima, os recém-nascidos possuem reservas de energia suficientes para ele esperar. Olha, eu sofri. Sofri lá e em casa. Tirava leite na bombinha pra dar à ele na mamadeira, até complementava com leite artificial (vejam só vocês, logo eu que esbanjo jatos de leite! Mas não sabia como tirar do seio), como se eu fosse deficiente e não pudesse amamenta-lo sozinha! Chorei muito por isso, mas não desisti em momento algum. Então, mãezinha que está sofrendo pra amamentar, eu conheço o teu coração. Não desista. Eu sofri porque fui uma mãe boba que não pediu ajuda.

Sobre a pediatra, ela voltou pra me fiscalizar e eu estava sentada com a Rubi mamando ferozmente. Perguntei se estava sugando corretamente e ela disse: "Está perfeito, as outras mães estão sofrendo pra conseguir, parabéns!". Ai que orgulho, minha gente!!!

Lar doce lar
Nada como estar em casa. Especialmente para sentar na minha queridíssima cadeira de amamentação, com minha maravilhosa almofada de amamentação, com meu abajur para amamentação, risos. Eu achava tudo isso desnecessário, mas preparar um cantinho especial foi fundamental para dar tudo certo. Os primeiros dias são complicados devido ao cansaço por causa do parto e adaptação a nova rotina.

Entre o primeiro e terceiro dia o leite desce, este é mais branquinho e "ralo" (definição do sr. Barrili) e provavelmente as mamadas serão mais longas e em períodos curtos e com o tempo o organismo do bebê e o seu vão se adequando ao necessário. Até lá pode ocorrer o excesso de leite, como no meu caso. Nessa fase era tanto leite que eu tinha que extrair com a bombinha antes e após a mamada. Sim. Eu passei dias inteiros tirando leite e amamentando. Nesta fase o recém-nascido mama de dez à 20 minutos em casa seio, mas não se preocupe em ficar trocando ele de seio em todas as mamadas, às vezes sete minutinhos em um só seio já são suficientes para ele. Bebês choram se estão com fome, não se preocupe.

Auxiliares à amamentação
Meu extrator de leite é da Avent, entretanto, certamente, numa futura gestação vou optar pelo elétrico da mesma marca. Parece frescura mas experimente ordenhar o dia inteiro! Meus dedos quase atrofiaram, risos.
Além disso, precisei de conchas coletoras de silicone da Avent. Levei vários banhos de leite com ela, pois enchia rápido demais e então passei a usar mais o Absorvente para seios da Johnson. Entenda, eu tenho MUITO leite.
Tenho também mamadeiras (kit com três) e esterilizador de mamadeira (o qual o marido me fuzilou quando abriu a caixa e viu que era só um pote com furinhos que vai ao micro-ondas)... sério, nem sei se vou usar esses trecos. Acho que comprar mamadeira antecipadamente é um tiro no escuro. Rubi nem sabe o que é isso.

Quando o leite parece insuficiente
Não existe essa história de "parei de amamentar porque tinha pouco lente", pode até ser, mas se completarmos com "... e não persisti o quanto deveria.". Afinal, amamentação requer insistência. Se o bebê fica inquieto durante a mamada, parece irritado e com fome pouco tempo após, sua produção pode estar baixa. Alguns métodos naturais podem ajudar como beber muita água, evitar chupeta (para que o bebê passe mais tempo estimulando o seio), esvaziar os seios após a mamada (quando se esvazia totalmente a produção é estimulada), tomar chá de erva-doce.

Dar leite artificial pode ser uma prescrição do pediatra mas lembre-se que pouco é melhor que nada, não deixe de oferecer o seio. Se essa for a sua alternativa, tente antes disso um medicamento prescrito pelo pediatra específico para aumentar a produção, o leite que sai de seu corpo é muito mais saboroso e valioso.

Bebê preguiçoso
Eu já tive um recém-nascido preguiçoso e sei bem o que é isso. Se o seu não acorda para mamar, experimente tirar algumas peças de roupa e pode até deixa-lo peladinho. até que desperte. Outra alternativa é amamentar com o bebê mais sentado do que deitado.

Leite empedrando
Água quente ou fria? Essa é a dúvida. Se já tiver empedrado, água quente, de preferência no chuveiro e fazendo leve massagens até desobstruir cada "pedrinha" e ordenhar o excesso. Caso os seios estejam muito cheios e sem pedras, uma toalha umedecida com água fria ajuda a diminuir a produção de leite.

Pra relaxar
É normal que como mãe fiquemos receosas mas aqui vão alguns sinais de que está tudo certo:
O cocô é esverdeado escuro nos primeiros dias e logo se torna amarelo-gema;
A fralda fica encharcada de xixi;
O bebê está cada dia mais pesado;
Parece esperto e responde sinais tais como o som da voz.

Pós-mamada
Muito importante e pouco citado, os minutos após a mamada devem ser levados em conta ou o seu trabalho será prejudicado. Colocar o bebê pra arrotar é fundamental para que aquele arroto preso não faça ele golfar ou se transformar em gases intestinais acarretando as temíveis cólicas. De pé, com o recém-nascido em posição vertical apoiado no ombro, dê leves batidas sincronizadas nas costas. Aguarde 10 minutos antes de deita-lo.


Quase nada é tão gostoso quanto ver seu bebê crescendo e saber que você é a fonte de alimento que ele precisa para isso. Eu amo amamentar. Atualmente, em vinte um dias de amamentação, estamos tão sincronizadas que eu consigo amamentar, comer e visualizar mensagens no facebook ao mesmo tempo ha-ha-ha
Minha produção de leite ainda é excessiva, por isso estou doando. Sou adepta da amamentação solitária, reservada à mãe e ao bebê com clima tranquilo.
O segredo é não desistir!


Espero ter ajudado as futuras ou recém mães!
Próximo post sobre amamentação é "Amamentação emagrece ou engorda?", não percam!


7 Comentários

  1. Lindaaaas!!!!
    Cada texto melhor que o outro!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Que coisa boa de ler! Muito obrigada.

      Excluir
  2. Amei amamentar apesar dos apesares. Rsrsrs.
    Hoje só me resta lembranças...

    ResponderExcluir
  3. Que bom que voltou com tudo, estava com saudade do cantinho...
    Penso muito nesse assunto "amamentação" e o Miguel ainda nem nasceu, mas espero ser persistente e não desistir fácil com os contratempos, pois acho umas das coisas mais magnificas que existe.
    A Rubi está linda, parabéns!
    Beijos em vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Persistência é o que há! Mas não se culpe se no final das tentativas tiver que dar fórmula :) Boa gestação e muito leitinho para o Miguel!!!

      Excluir
  4. Adorei Lelly, mesmo porque pra mim foi difícil, doía muito e cada visita que ia em casa, falava para passar algo diferente no bico do seio, casca de banana, arruda, entre outras bizarrices....Acredito que ficará mais fácil no meu próximo filho, com suas dicas...bjos

    ResponderExcluir

E aí, o que você achou? :)